Petrobras investe em tecnologia para monitoramento remoto de plataformas na Bacia de Campos

Publicado em: 17/08/2021 09:19:32

FOTO AGÊNCIA PETROBRAS

Com um investimento de aproximadamente R$ 10 milhões, a Petrobras aprimorou seu Centro de Operações Integradas (COI) na Bacia de Campos. São mais de 50 monitores de TVs, que acompanham, em tempo real, processos de produção de petróleo e escoamento de óleo e gás na região, situados a dezenas de quilômetros de distância de Macaé.
 
A partir do COI, é possível acompanhar em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana, os parâmetros de produção de 190 poços operados pela UN-BC na Bacia de Campos. O COI também monitora os estoques e traça estimativas de produção e de escoamento do óleo, o que evita a parada temporária das plataformas; além de acompanhar as operações e localização dos navios-tanques e embarcações de suprimentos.
 
Os sistemas reconhecem qualquer alteração no processo de produção e, quando necessário, um alerta é enviado imediatamente ao COI, permitindo maior agilidade nas tomadas de decisões e ampliando o patamar de confiabilidade e de segurança.
 
O próximo passo é incorporar tecnologias digitais, como ferramentas de Machine Learning, para encontrar padrões entre as diferentes classes de informações e, desta forma, aumentar a eficiência de atividades de exploração e produção de petróleo. O objetivo é gerar análise estatística e conseguir prever, por exemplo, maximizar o escoamento de petróleo e gás e até mesmo otimizar parâmetros de tratamento de petróleo das plantas industriais das plataformas.
 
“Processamento mais rápido e algoritmos mais eficientes nos ajudam a reduzir riscos e antecipar decisões, elevando o retorno econômico dos nossos processos”, explica Fernando Borges, diretor de Exploração e Produção da Petrobras.
 
Controle operacional remoto

O Centro de Operações Integradas conta também com recursos e tecnologias de conectividade que permitem, com total segurança, o controle operacional e de produção de uma plataforma remotamente. Atualmente, 11 plataformas já possuem controle em terra. Uma das vantagens deste modelo é a redução de equipe embarcada, que permite diminuir a exposição a risco ocupacional, mantendo o nível de qualidade e segurança.


FOTO AGÊNCIA PETROBRAS
 
A plataforma é “replicada” e é possível realizar remotamente as operações. As salas de controle onshore possuem todos os dispositivos de uma offshore. O operador em terra se comunica por rádio a qualquer tempo com os profissionais embarcados e consegue controlar válvulas, bombas e demais equipamentos da produção de gás e de óleo.
 
São projetos como estes que elevam a eficiência operacional e a excelência em segurança da Petrobras. A companhia segue investindo em tecnologia e inovação como alavanca de negócios e também para promoção da segurança das pessoas, do meio ambiente e das instalações.

×

Acesso ao Conteúdo

Exclusivo para jornalistas cadastrados.

×

Enviar notícia

Preencha o formulario abaixo para enviar a notícia:

× Crédito AGÊNCIA PETROBRAS

A Equipe Mitsubishi Petrobras, formada pelo piloto Guilherme Spinelli e pelo navegador Youssef Haddad, disputa a 21ª edição do Rally dos Sertões.

×

TESTE