Esclarecimento sobre gasolina de aviação

Publicado em: 10/07/2020 13:19:56

FOTO AGÊNCIA PETROBRAS

A Petrobras reforça que está ciente do problema técnico identificado pelo segmento de aeronaves de pequeno porte em relação à composição da gasolina de aviação (GAV). Ainda não há análises comprobatórias de contaminação do produto. A companhia se prontifica em colaborar e contribuir, em conjunto com a Anac, Cenipa, ANP e distribuidoras de combustível, na investigação das causas dos problemas relatados.

A companhia não é a única importadora de GAV no país. Existem outros importadores que abastecem o mercado brasileiro. Todas as cargas importadas pela Petrobras são provenientes de empresas norte-americanas, a partir do Golfo do México.

Todos os produtos comercializados pela companhia atendem plenamente aos requisitos de qualidade exigidos pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), que seguem padrões internacionais. A gasolina vendida é previamente testada para garantir o atendimento às especificações do órgão regulador.

A Petrobras importa gasolina de aviação desde 2018, quando a unidade que produzia o combustível, na Refinaria Presidente Bernardes – Cubatão (RPBC), foi paralisada. A reforma da planta produtora sofreu atraso devido à interrupção das obras causada pela pandemia de Covid-19, mas a previsão é que a produção seja reiniciada em outubro de 2020.

×

Acesso ao Conteúdo

Exclusivo para jornalistas cadastrados.

×

Enviar notícia

Preencha o formulario abaixo para enviar a notícia:

× Crédito AGÊNCIA PETROBRAS

A Equipe Mitsubishi Petrobras, formada pelo piloto Guilherme Spinelli e pelo navegador Youssef Haddad, disputa a 21ª edição do Rally dos Sertões.

×

TESTE