Segurança em instalações GLP nos condomínios

Publicado em: 08/12/2016 14:57:20

Entenda quais são as responsabilidades das distribuidoras de gás, condomínios e moradores

Moradores de condomínios que utilizam o abastecimento por centrais de GLP devem estar atentos às questões de segurança. A Liquigás Distribuidora, empresa do Sistema Petrobras que atende a mais de 43.900 clientes em condomínios por meio do Sistema de Medição Individualizada, explica quais são as responsabilidades da distribuidora de gás, dos condomínios e dos próprios moradores visando à segurança.

Instalação e manutenção da central: responsabilidade da distribuidora

O condomínio que deseja contratar o serviço de abastecimento GLP da Liquigás recebe uma visita técnica de consultores da área granel, sem custo para os condôminos, para avaliar o local indicado e as condições para a instalação da central de GLP. O técnico identifica se o espaço disponível para a instalação atende às normas de segurança ou se é necessário fazer algum tipo de intervenção ou adequação.

Uma vez instalada a central de GLP a granel da Liquigás, são realizadas visitas técnicas programadas para que seja feita a manutenção dos equipamentos e a vistoria do serviço.  A manutenção preventiva dos equipamentos já instalados também é realizada sem custo adicional para o condomínio e sua periodicidade varia de acordo com o tipo da instalação. No caso de manutenção corretiva solicitada pelo cliente, nas áreas e equipamentos que compõem a central de GLP, a Liquigás também não cobra pela visita.

O condomínio que contrata o abastecimento a granel da Liquigás além de receber uma consultoria especializada na hora da instalação, conta com manutenção preventiva e corretiva 24 horas por dia durante os sete dias da semana em todo o Brasil.

Condomínio e moradores também têm responsabilidades

Para levar o gás até os apartamentos, no caso de condomínios verticais e horizontais, a central de gás – de responsabilidade da distribuidora – é conectada à rede de distribuição do próprio condomínio – a chamada prumada, que é a tubulação que faz o transporte do GLP até cada unidade. A responsabilidade pela prumada é do condomínio, que deve contratar mão de obra especializada para sua instalação, liberação e manutenção.

Aos moradores cabe a dos equipamentos que se encontram dentro dos apartamentos, como é o caso de fogões e aquecedores de água. É importante que cada imóvel realize o acompanhamento desses equipamentos por meio de manutenção e limpeza periódicas.

A inspeção técnica do sistema de gás do condomínio é obrigatória apenas quando o local está renovando o seu Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Nesse momento, o Corpo de Bombeiros pede um laudo explicitando que as instalações estão de acordo com a NBR 15.526/ 2012, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Em alguns Estados, a corporação também solicita o laudo de cumprimento da NBR 13.523/2008 da ABNT.

Quanto às visitas programadas pela distribuidora, é primordial que o condomínio permita o acesso dos funcionários da Companhia, sobretudo em casos de manutenção corretiva. Caso a distribuidora seja impedida de acessar a central de gás e haja suspeita de algum risco à segurança da unidade central, a empresa pode buscar os órgãos competentes para permitir forçar sua entrada de maneira legal, já que se trata de uma importante questão de segurança.

Medição Individualizada

A Liquigás possui soluções para tornar ainda melhor o abastecimento de GLP nos condomínios, como é o caso da Medição Individualizada. Esse sistema assegura ao cliente o pagamento da conta com valor correspondente ao que foi consumido na própria residência, sem que tenha que arcar com custos de outros condôminos que consomem mais gás ou mesmo inadimplentes. Isso possibilita que o cliente que consome pouco gás pague o preço justo pelo serviço. O sistema também tem como diferencial a emissão da conta de gás individual da unidade no ato da leitura do consumo. Todas as cobranças (inclusive a dos inadimplentes) são feitas pela própria Liquigás (deixando de ser responsabilidade do síndico), por meio de contas individuais destinadas a cada unidade do condomínio.

A Liquigás disponibiliza esse sistema nos estados da Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Rio Grande do Norte, Pernambuco, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Espirito Santo e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal.

Dicas Importantes

•    Jamais passe a mangueira por trás do fogão. Se for necessário alterar a posição de entrada de gás, chame profissionais credenciados pelo fabricante do fogão;
•    Não instalar o fogão onde há corrente de ar que possa apagar a chama e causar vazamento de gás.
•    Atentar-se ao prazo de validade da mangueira e regulador de pressão do GLP.
•    Realizar a manutenção periódica dos equipamentos (fogão, forno, aquecedor etc.).
•    Após instalar a mangueira no fogão, faça o teste de vazamento, passando espuma de sabão ao redor da conexão da mangueira e do fogão.
•    Se surgirem bolhas, repita a operação de instalação. Se o vazamento continuar, desconecte a mangueira e informe o sindico.
•    Acenda sempre primeiro a ignição (fósforo, se for o caso) e somente depois libere o GLP no bocal.

×

Acesso ao Conteúdo

Exclusivo para jornalistas cadastrados.

×

Enviar notícia

Preencha o formulario abaixo para enviar a notícia:

× Crédito AGÊNCIA PETROBRAS

A Equipe Mitsubishi Petrobras, formada pelo piloto Guilherme Spinelli e pelo navegador Youssef Haddad, disputa a 21ª edição do Rally dos Sertões.

×

TESTE