Projeto patrocinado pela Petrobras inaugura fábrica para produzir lenha ecológica

Publicado em: 26/06/2014 17:23:51

O Projeto Caatinga Viva, patrocinado pela Petrobras, inaugurou, nesta quinta-feira, dia 26, em Ipanguaçu, no Rio Grande do Norte, uma biofábrica de briquetes, um tipo de lenha ecológica produzida a partir de biomassa, recurso renovável proveniente de matéria orgânica vegetal como plantas, capim, resíduos de poda de árvores etc. A fábrica produzirá aproximadamente cinco toneladas por ano, com o objetivo de substituir o uso da lenha nativa e minimizar o desmatamento da Caatinga e a perda da biodiversidade da região. A cerimônia de inauguração foi realizada no Auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), no Campus Ipanguaçu, onde foi construída a biofábrica. Pela Petrobras, esteve presente o gerente de Comunicação da Área de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará, Decio Peixoto, além de representantes de prefeituras dos municípios envolvidos, do IFRN e da ONG Carnaúba Viva.

A caatinga é uma das áreas semiáridas mais ricas em biodiversidade do planeta, e também o único bioma exclusivamente brasileiro. No entanto, encontra-se ameaçado, entre outros motivos, pelo desmatamento proveniente da extração de madeira para produção de lenha.

Desenvolvido pela Organização Potiguar de Arte, Cultura, Desporto e Meio Ambiente (ONG Carnaúba Viva), o projeto Caatinga Viva tem como objetivo a geração de renda de forma sustentável em convivência com o semiárido. Para isto, conta com o envolvimento de comunidades tradicionais, como quilombolas e extrativistas da cadeia produtiva da carnaúba, em nove municípios do Vale do Açu, no Rio Grande do Norte: Assú, Carnaubais, Ipanguaçu, Itaja, Pendências, Alto do Rodrigues, Afonso Bezerra, Porto do Mangue e Macau.

A iniciativa também tem parceria com a Embrapa, IFRN, Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e Associação Norte-Riograndense de Engenheiros Agrônomos (Anea).

Atuação e resultados
O Caatinga Viva foi contemplado na seleção pública de 2010 e, atualmente, integra o Programa Petrobras Socioambiental. O projeto desenvolve atividades de produção de briquetes, reúso de águas servidas, educação socioambiental e recuperação de 100 hectares de áreas degradadas, especialmente em matas ciliares do rio Açu, em Áreas de Proteção Permanente e em Reservas Legais de assentamentos rurais. De forma piloto, também são reutilizados 26 metros cúbicos por hora de esgoto tratado do município de Pendências/RN para a produção de biomassa na fábrica.

Através de ações de educação ambiental, o projeto já capacitou 615 professores e mais de 10 mil alunos da rede pública do ensino fundamental, quase a totalidade dos estudantes nos nove municípios atendidos.

Por meio do Programa Petrobras Socioambiental, a Petrobras investirá R$ 1,5 bilhão até 2018, em projetos com foco nas linhas de atuação: Produção Inclusiva e Sustentável, Biodiversidade e Sociodiversidade, Direitos da Criança e do Adolescente, Florestas e Clima, Educação, Água e Esporte.

×

Acesso ao Conteúdo

Exclusivo para jornalistas cadastrados.

×

Enviar notícia

Preencha o formulario abaixo para enviar a notícia:

× Crédito AGÊNCIA PETROBRAS

A Equipe Mitsubishi Petrobras, formada pelo piloto Guilherme Spinelli e pelo navegador Youssef Haddad, disputa a 21ª edição do Rally dos Sertões.

×

TESTE