Palestras sobre pré-sal, conteúdo local e sustentabilidade foram destaques no WPC

Publicado em: 20/06/2014 18:49:30

A 21ª edição do Congresso Mundial de Petróleo (WPC, na sigla em inglês), maior evento global da indústria do petróleo, foi encerrada ontem (19/6) em Moscou. No último painel com executivos da Petrobras, Jeferson Luiz Dias, gerente geral de Exploração, participou da mesa redonda “How should we optimise cycle time from exploration to production?” (Como devemos otimizar o tempo entre exploração e produção?) e apresentou a estratégia aplicada pela companhia para reduzir o tempo entre a descoberta e o início da produção. A otimização permite à companhia antecipar as receitas dos projetos. Para que isso ocorra, Dias explicou que a Petrobras tem adotado, nos projetos do pré-sal, uma série de medidas ainda na fase exploratória, possibilitando a antecipação dos projetos de desenvolvimento da produção.

A redução do tempo médio entre a descoberta do campo e a primeira extração de petróleo pode ser constatada na comparação com os projetos implementados em outras áreas de águas profundas no Brasil, fora do pré-sal. "O tempo médio passou de 72 meses para 35 meses nos projetos recentes, através dessa estrategia. É uma redução realmente muito impressionante. Podemos dizer que atingimos nossos objetivos, reduzindo o tempo e antecipando o fluxo de caixa na produção dos nossos últimos projetos”, destacou.

Executivos da Petrobras debateram as principais questões do setor em painéis, palestras e mesas redondas na 21ª edição do WPC. O congresso, que acontece a cada três anos, reúne ministros de estado e presidentes de empresas de mais de 80 países.

Companhia apresentou ações para o desenvolvimento, inovação e sustentabilidade do setor

No dia 17 de junho, o diretor da área de Gás & Energia da Petrobras, José Alcides Santoro Martins, participou do painel “O papel da indústria na promoção do desenvolvimento”, no qual destacou o plano de investimentos da companhia, de US$ 220,6 bilhões para o período 2014-2018, e as perspectivas de dobrar a atual produção de petróleo até 2020, quando chegará a 4,2 milhões de barris de petróleo produzidos diariamente. "Vários índices de desenvolvimento melhoraram no país na última década e a indústria de petróleo e gás tem um papel positivo nisso”, avaliou o diretor.

O assessor da presidente da Petrobras para conteúdo local e coordenador executivo do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), Paulo Sergio Rodrigues Alonso, presidiu, no dia 16, o fórum “Garantindo a segurança do fornecimento de equipamentos, materiais e infraestrutura de conteúdo local”. Paulo Alonso traçou um panorama das políticas de conteúdo local no mundo e ressaltou que não devem ser protecionistas, mas de incentivo. “Não há dúvida de que o objetivo principal de uma política de conteúdo local eficaz é promover a participação da indústria nacional nos projetos de petróleo e gás em base sustentável e competitiva. Políticas governamentais devem ser encorajadoras, não de proteção”, afirmou.

Ainda no dia 16, a gerente executiva da Petrobras para a área de Libra, Anelise Lara, participou da sessão especial “A próxima onda de inovação na exploração e produção de petróleo”, usando como exemplo o caso do pré-sal brasileiro para falar de inovação. Ela ressaltou que as tecnologias aplicadas, desde o imageamento dos reservatórios até a concepção das unidades de produção, contribuíram para elevar em 10 vezes a produção nos últimos quatro anos e para redução dos custos. “Tivemos grande redução de custos na perfuração e completação dos poços, por exemplo. E esse é um grande ganho, porque a área de poços recebe quase 50% do investimento total dos projetos. Se compararmos com o início da fase exploratória, conseguimos reduzir entre 40% e 50% o tempo de perfuração e completação no pré-sal”. Anelise também participou, no dia 17, do painel “Exploração e produção em águas profundas”, no qual destacou que “a produção acumulada no pré-sal atingiu 343 milhões de barris de petróleo e gás equivalente (boe), de setembro de 2008 a abril de 2014”.

Também presente no WPC, o diretor de Etanol da Petrobras Biocombustível, Milas Evangelista, destacou, no dia 17, os benefícios do uso de biocombustíveis na redução das emissões de gases de efeito estufa e na melhoria da qualidade do ar nas principais cidades. Ainda no dia 17, o gerente geral da área de exploração da Petrobras, Jeferson Luiz Dias, falou sobre os investimentos da companhia em exploração e produção, que serão de US$ 153,9 bilhões no período 2014-2018.

Também participaram do evento a gerente geral da área de Geologia Aplicada à Exploração da Petrobras, Sylvia Anjos, que no dia 15/6 apresentou a palestra “Mulheres na indústria do petróleo. Uma visão da Petrobras – Brasil”; e a gerente de Investimentos Sociais da Petrobras, Rosane Aguiar Figueiredo, que apresentou o Programa Petrobras Socioambiental no dia 18/6.

A Petrobras esteve presente ainda no Comitê Jovem (Youth Committee) do WPC. Jaime Naveiro, gerente do Projeto de Sapinhoá, da área de Exploração e Produção da Petrobras, é atualmente o vice-presidente deste comitê e apresentou a Petrobras a grupos de jovens de todo o mundo, nas manhãs dos dias 17 e 18 de junho.

Veja fotos: Galeria de imagens WPC Moscow 2014

Leia notas relacionadas:

Petrobras investirá US$ 750 milhões em projetos sociais e ambientais até 2018, afirma gerente da Petrobras em congresso

Produção acumulada no pré-sal já atingiu 343 milhões de barris

Política de conteúdo local deve ser de incentivo, não protecionista, avalia executivo da Petrobras em conferência na Rússia

Participação do setor de petróleo e gás chega a 13% do PIB brasileiro

Petrobras participa do maior congresso mundial de petróleo

 

×

Acesso ao Conteúdo

Exclusivo para jornalistas cadastrados.

×

Enviar notícia

Preencha o formulario abaixo para enviar a notícia:

× Crédito AGÊNCIA PETROBRAS

A Equipe Mitsubishi Petrobras, formada pelo piloto Guilherme Spinelli e pelo navegador Youssef Haddad, disputa a 21ª edição do Rally dos Sertões.

×

TESTE